Grandes mudanças no Google Ads para o próximo mês

Case do E-Book Google Ads – O Guia Definitivo de 3 páginas
11/04/2019
AI - créditos: //pixabay.com/vectors/artificial-intelligence-155161/

Mais uma vez o Google vai realizar mudanças importantes na forma como usamos o Google Ads.

Como já se sabe há meses, a métrica Posição Média vai sumir da interface e agora foi noticiado que a opção de entrega acelerada de anúncios (para rede de pesquisa e Google Shopping) também vai se aposentar ao mesmo tempo.

Quando, em 1º de abril de 2019 eu lancei um e-book de 3 páginas intitulado Google Ads – O Guia Definitivo, cuja dica era “Continue aprendendo, sempre”, era disso que eu estava falando.

Com os avanços na área da inteligência artificial, o Google parece confiar cada vez menos na nossa habilidade para tomar decisões sobre como veicular e otimizar as campanhas. De fato, a máquina é capaz de consultar bases de dados e trabalhar com estatísticas como nenhum ser humano. No entanto, temos um talento humano inigualável em cometer erros e com eles nós aprendemos, descobrimos oportunidades e evoluímos. Ok, não é assim com todo mundo, mas nunca confie em alguém que não é capaz de mudar de opinião.

Se por um lado a posição média de um anúncio não deve ser uma das métricas mais importantes de uma estratégia (embora afete a taxa de cliques, geralmente tem pouco ou nenhum impacto na taxa de conversão) e a entrega acelerada faz com que anunciantes inadvertidos sumam das buscas antes de meio-dia, eu sempre tendo a preferir a abordagem de educar à proibir.

Deixar tais recursos menos acessíveis já seria suficiente para bloquear o seu uso de forma insatisfatória por leigos e entregar melhores resultados para os anunciantes (em relação às contas que são mal gerenciadas).

Vale lembrar que quem conhece a estratégia em jogo é a gente.

Ao retirar de nós as opções com as quais contávamos, retira-se mais um pouquinho do controle de nossas mãos. Isso nos obriga a mudar de abordagem, a entender melhor outras métricas e elaborar novas táticas. Mudança. É só aí que a sensação ruim começa a passar e a gente começa a ver oportunidades.

No médio e longo prazo, mudar é muitas vezes o melhor que você pode fazer (ainda que eventualmente isso possa significar mudar também de profissão).

1 Comment

  1. Daniel Bizon disse:

    Mais um texto do mestre. O interessante é que você nunca “deixa barato”, trazendo no conteúdo sobre mudanças tecnológicas, aspectos humanos implícitos com provocações avassaladoras. Citando: “Nunca confie em alguém que não é capaz de mudar de opinião”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *